Páginas

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Crônica: SOS Saúde Pública!

Sexta, 03/02/12.  



Que a saúde pública brasileira não anda bem das pernas, não é nenhuma novidade, ninguém contesta ninguém duvida. Constantemente verem-se emissoras de Rádio e TVs, jornais, revistas, internet, etc., noticiarem os desvios de verbas, o descaso dos governantes, para com a saúde pública. São milhares os pacientes literalmente amontoados nos corredores dos hospitais públicos de todo o país a espera de um leito, o que nem sempre acontece, infelizmente; muito dos quais chegam a óbito, quer por omissão de socorro/negligencias médicas, a falta de equipamentos a greve dos médicos. O SUS – “Sistema Único de Saúde” órgão responsável pela saúde pública, só funciona no papel, na prática é uma instituição falida. Apurar as causas e culpas pelos desmandos e/ou caos na saúde pública, não nos compete, meros cidadãos, contribuintes para com a previdência, pagadores de seus impostos e também adjacências. É bem verdade que nem tudo sai como planejamos, mas, pior será cruzar os braços mediante as intempéries da vida. Resta-nos apenas conscientizar-nos e reivindicar nossos direitos, tomar medidas cabíveis contra atitudes que julgamos abusivas, fazer valer a nossa voz, num sonoro grito dos menos favorecidos, em prol da vida. Prova cabal dessa total ausência de respeito para com a população, está diretamente relacionado ao cadastramento e/ou recadastramento dos cartões do SUS, melhor dizendo, ao infortúnio dos horários. Segundo o responsável pela entrega dos cartões já cadastrados bem como das fichas a serem distribuídas, devemos chegar ao local de acesso desde a meia noite até as Quatro da matina, lembrando-se que serão distribuídas apenas 40 fichas, quem chegar depois ou o nº de pessoas no recinto estipularem o de fichas; Terão que retornar a seus lares, e voltarem mais uma vez outro dia, digo outra noite. Particularmente, acho essa atitude um tanto descabida, por que não dizer, abusiva? Como se não tivéssemos nada melhor pra fazer, como se as lutas diárias não fossem por si só um calvário, mais essa agora de interromper nosso sono sagrado, noturno, sono mais que merecido, sono dos justos, depois de mais um dia de batalha. Uma vez que é inevitável tal cadastramento, por que não usar de bom senso, mudando o horário da noite pro dia, evitando transtornos pra todos, especialmente pro povo, vitimas eternas de atitudes insanas e trapalhões. Outra medida cabível seria designar os agentes de saúde de acordo com a sua área de atuação, no intuito de recolher toda a documentação necessária (Xerox de CPF, identidade e cartão do SUS), e só entregar-nos, após o recadastramento, em nossa residência. Melhor que submeter-nos a tamanho desconforto, fazendo-nos sair de nossas residências, quer seja zona rural, urbana e adjacências, em plena madrugada, feito guarda noturno; nada contra a classe, ao menos eles ganham pra isso. Vivemos em tempos modernos, onde a tecnologia estar a nosso serviço devemos usar-la em prol de nós mesmos; e de todos no contexto social inserido. Se liguem, usem a cabeça, e tomem as decisões corretas, com serenidade, responsabilidade e sabedoria! Sempre visando o bem comum! O povo agradece! 

Adilson Adalberto
Reações:

Um comentário:

  1. Olá Adilson, de fato a saude publica esta mesmo um caos, o SUS tem muito ainda o que melhorar, mas a area de saude como um todo esta deficitária, mesmo p quem tem plano de saude, as esperas são longas, os medicos muitas vezes mal preparados, é um caos geral! Abraços

    ResponderExcluir