quinta-feira, 5 de julho de 2012

Crônica: Dia de são nunca - um dia pra ser esquecido!

Quinta, 05/07/12. 


Dia de são nunca - um dia pra ser esquecido! 

Agora eu não duvido de mais nada, eu acredito em cupidos, duendes, contos de fadas. Depois do resultado do jogo de ontem à noite, tudo é possível! Argentinos felás da gaita, estúpidos até na hora de disputar um título, não duvido nada que tenha perdido o jogo de propósito pro Corinthians, só pra contrariar cerca de 180 milhões de brasileiros. Já não se faz mais herma nos como antigamente, Caniggia e Maradona, que os diga, afinal, quem é que não se lembra da copa do mundo de 1990? Quem é que segura agora, os devaneios e lapsos de memória, dessa torcida fanática, caseira, outrora de alguns clubes (São Paulo - FC) freguesa, e recorde negativo no guines books, em libertadores na lista de espera? Quem foi que disse que em jogo ou disputa de campeonato prevalece à lógica, que camisa ganha jogo, que estatística na hora do vamos ver faz alguma diferença, que chupe essa agora. Queria acordar e ver que tudo não passou de um terrível pesadelo, ou então, continuar dormindo, e fazer de conta que tudo não passou de um mal entendido, que mais uma vez eles tropeçaram nas próprias pernas, que a bola bateu na trave, e que eles continuam na lista de espera. Mas não, infelizmente isso não é um sonho, pelo menos não pra imensa maioria dos clubes brasileiros. Não sou adivinho, não tenho poderes paranormais, nem tampouco tenho bola de cristal, mas, parece até que estou vendo o carnaval; vão quere fazer dessa “conquista” um filme, quer pra não fugir a memória, talvez a última da história, desta nação desacostumada a grandes conquistas. Aqui pra nós, está mais pra roteiro de cine trash, com direito a Zé do cachão no roteiro. Agora só nos resta torcer pra que no mundial de clubes, eles peguem na final o Barcelona, de Lionel Messi, e não o Chelsea da Inglaterra ou qualquer outro time na final do mundial de clubes. Aí eles caem de vez do cavalo, e voltam à dura realidade, ao mundo que sempre foi deles - o dos quase, dos vice-campeonatos, com direito a mais cem anos na fila de espera, em busca de outro milagre! E antes que me julguem mal, não sou torcedor argentino e sim brasileiro, com muito orgulho e muito amor. Mas entre clubes, sou mais meu tricolor (Paulista), sou até simpatizante de outros clubes (jogadores), mas, nãos sou hipócrita, não visto outra camisa. E segundo estatísticas, um raio não cai duas vezes no mesmo lugar, corintiano não perde por esperar, mas não se preocupe, já reservamos um lugar que lhes é muito peculiar, que é o último entre os primeiros lugares, dos mais vitoriosos e queridos do brasil. Só mais uma coisa a salientar: alegria de pobre dura pouco viu Bandos de loucos!  

Adilson Adalberto

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário