Páginas

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Poesia: O teu amor...

Segunda, 22/10/12. 



O teu amor

O teu amor me procurou, me sondou, me assediou, me conquistou. O teu amor me inspirou, me motivou, me confidenciou, me libertou, me amou, me moldou. Fez de mim um vaso novo, simples barro na mão do olheiro. Por seu intermédio aprendi a ver e levar a vida mais sério, não nego, cometi muitos erros. Mas o seu amor virou a página, passou sobre eles uma borracha, tornou-me a vida mais leve, mais cheia de graça, preencheu-me as lacunas d´alma, deu-me a calma, a paz, a esperança e a alegria. Iluminou-me os dias, fez fluir em minha vida, perseverança e ousadia, verbos até então, existentes apenas no campo da teoria. Seu amor é realidade, não é utopia. Resiste a qualquer tempestade, a qualquer falsidade e maldade, é farol que me guia nas noites mais sombrias, é como anjo de guarda, que não me larga, não sai da minha aba 24 horas do dia, é como sangue correndo em minhas veias, como o ar que eu respiro, de modo que sem o seu amor eu não quero, não posso e não vivo, por que viver sem ele, seria o meu pior castigo. 

Adilson Adalberto
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário