quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Crônica: Prefiro mulheres reais que as virtuais!

Quarta, 14/11/12. 


Prefiro mulheres reais que as virtuais! 


Chega de mulheres virtuais, eu quero é mulheres reais. E-mail, MSN, face book, Orkut, you tube. Absurdo essas redes sociais. Tornaram-se febres mundiais. Fizeram-nos seres artificiais, superficiais, surreais, etc e tais. Ninguém merece tantos ais. Lá fora a vida estar passando, enquanto nós aqui só teclando; chega, não aguentamos mais.
Até no celular estamos conectados, eita vício desgraçado, sai desse corpo que não te pertence, procura outro desocupado. Tira de uma vez por todas essa bunda magra ou gorda da cadeira, senão vai criar calo. Vai à noite pra praça conversar com os amigos e paquerar as garotas, seu trouxa, toma umas e outras, senão todas no bar do espetinho, ou se preferir calafrios, tenta se enturmar aproximar, paquerar, namorar, pegar, tocar, abraçar, apalpar, sentir, beijar, amar, melhor que só olhar, garanto que tu vais gostar. A internet sem dúvidas tem suas utilidades públicas, mas na verdade nada substitui o amor e o sexo. Por isso prefiro as mulheres de carne e osso, que as da net. Nada pessoal, até são muito simpáticas e me divertem; algumas até são “minhas amigas”, no dia a dia, desde a época do colégio, mas nas noites frias, quando estou carente, não são elas quem me aquecem.  Conversar às vezes até que serve, mas confesso que sou carnal, e só o prazer me diverte. Quero mais ação, mais prática, e menos teoria, dançar com as gurias, beijá-las muuuuuito, pegá-las de jeito, levar café da manhã na cama no dia seguinte, quer pra impressionar bastante, e ela voltar mais vezes, e ao despedir-nos com um beijo longo, termo-nos certamente um excelente dia! Essa tem que ser a vida dos jovens de vinte a trinta e poucos anos, e não perder tempo e noites de sono, à frente de um computador, vivendo de utopia.

Adilson Adalberto



Reações:

0 comentários:

Postar um comentário