Páginas

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Soneto: Vida ingrata e madrasta!

Quinta, 10/01/13. 


Soneto: vida ingrata e madrasta.

Se a vida é como muitos dizem: uma mãe
Para mim ela tem sido mesmo é madrasta.
Não tem me dado o devido valor
Praticamente me deixou ás traças.

Dela nunca tive carinhos
De si recebi só pancadas
Sempre me sentir sozinho
Comendo poeira a beira da estrada.

Enquanto muitos disparam na frente
Eu continuo na mesma passada
Minha vida se resume a isso: uma eterna piada.

Carrego comigo rancores a muito no peito
Tristeza e solidão que não passa
Reflexo de uma vida medonha, causada por essa ingrata madrasta. 

Adilson Adalberto
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário