Páginas

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013


Quarta, 06/02/13. 

24ª Blogagem coletiva - slogans e bordões inesquecíveis (Propagandas, novelas, filmes ou séries).


Desde muito pequeno, lá por volta de mil novecentos e não tanto tempo, que sou apaixonado por TV. Ainda mais que não tinha lá em casa, assistia pela fresta da porta da casa da visinha, que sequer me deixava entrar em sua residência. Era assim todos os dias, assistia do lado de fora, nem me dava conta do adiantado da hora, era preciso a minha avó vir me buscar para eu não perder a hora de ir pra escola. De tanto me ver penar, acho que Deus resolveu nos abençoar, presenteando com uma TV novinha. Lembro-me como se fosse ontem, era preto e branco, a válvula e não tinha controle, ligava manualmente. Fiz até um desenho dela em meu caderno de desenho, vez por outra ainda o encontro, é tudo que restou dela. Meus olhos brilhavam, encheram-se de água vendo-a ali, ligada em nossa sala. Agora não mais precisava tomar sol ou neblina de chuva, em pé na rua, para assistir meus desenhos. Era muita alegria, pura emoção poder assistir na telinha a nossa primeira novela, que tinha como protagonista a Mirian Rios, Bambolê, no horário das seis. Programas infantis e de auditórios, desenhos animados, seriados, filmes na sessão da tarde, conforme o tempo ia passando, tudo ia se transformando, aguçando ainda mais a minha curiosidade, pausa mesmo só para o banho, almoço, escola e dormir, mas no fim de semana, ia poder fazer tudo isso sem interromper. Brincar com os amigos tinha hora certa, assistir TV não. Muito mais interessante que ler qualquer livro de história, que não me ouçam os meus professores da escola, por que melhor que ler era ver. As imagens ali se movimentando, os personagens gesticulando, falando, uma sensação indescritível. Não, eu não era apenas um telespectador assíduo, eu era parte integrante da TV. Era assim que eu me sentia, nesse meio tempo vi surgir grandes artistas, apresentadores, cantores, jornalistas, séries inéditas e fictícias, programas infantis e humorísticos, novelas e comerciais de TV, que até inda hoje não conseguir esquecer. Início da de oitenta até os dias atuais, vimos e vemos constantemente comerciais nas emissoras de TV, rádios, internet, telejornais, influenciando o nosso jeito de ver e viver a vida. Slogans, bordões, quem é que não se lembra de ter visto e/ou ouvido algum que por sinal marcou direta ou indiretamente a sua vida? E só para refrescar a nossa memória, a seguir uma pequena lista. 


                                                      TV é isso. 
Se tem um comércio que supera todas as minhas expectativas sempre é o da Sky! Ficou falando cá com meus botões, o que é que eles vão inventar agora? Eles são muito criativos, bom demais a Gisele Bundchen e seu parceiro de cena que infelizmente não sei o seu nome. Eles estão de parabéns, melhor comercial que existe nos últimos anos! 
                                                       Bombril - Tem 1001 utilidades. 
                                                  
Carlos Moreno praticamente ficou imortalizado fazendo comerciais sempre bem criativos da Bombril. Sinto saudades de vê-lo novamente no vídeo! 

                                                       Tostines.

                                               Vende mais porque é fresquinho, ou é fresquinho porque vende mais. 
Pense numa pergunta que não quer calar. Eu nunca soube responder, acho que nem precisa, era só jogada de marketing. E diga-se de passagem, muito bem sacada.
                                                                   Mon Bijou 
                                                                   Me aperta, me cheira, me chama de Mon Bijou. 
   Mas uma das carimbadas de Carlos Moreno, agora na companhia de Reinaldo Gianecchini. 

                                                       “bonita camisa, Fernandinho”. 

Essa aí é inesquecível, esse cara toda vez que entrava na empresa, tinha sempre alguém que dizia: “bonita camisa Fernandinho”, era muito engraçado, pena que acabou. 


Todos estes bordões e slogans de campanhas que fizeram sucesso e até hoje não saem da cabeça do consumidor. 

Muitas vezes um bom bordão é o responsável pela ascensão de um ator ou personagem que ele encena (principalmente no meio humorístico), pois existem momentos em que nós mesmos passamos a utilizá-los em nosso cotidiano, por exemplo, é só dizer “Tô certo ou tô errado” que Lima Duarte vem à mente como o inesquecível Sinhozinho Malta de Roque Santeiro.
   
Nesses posts recordaremos as clássicas “falinhas” de memoráveis personagens de filmes, séries, desenhos que marcaram época. 
                                                               Pernalonga – “O que há velhinho?”
Quem é que nunca se deliciou em frente à TV assistindo ao coelho Pernalonga, um dos personagens mais conhecidas no mundo? Em 2002, foi escolhido pela revista TV Guide como o maior personagem de desenho animado de todos os tempos.
Seu famoso bordão é a pergunta “Eh... o que é que há velhinho?”, geralmente dito enquanto mastiga uma cenoura. 
                                                          Baby – “Não é a mamãe!” 
Baby da Silva Sauro é o terceiro e último filho do casal Sauro. Infantil, Baby ama excessivamente a mãe, Fran e tem como hobbies assistir à TV e agredir o pai, Dino, geralmente com uma frigideira na cabeça recitando diversas vezes o bordão: "Não é a mamãe”!”“ Não é a mamãe!”e “Precisa me amar”!”. 

                                                        Caco Antibes – “Eu tenho horror a pobre!”

Caco Antibes, famoso personagem do ator, diretor e autor Miguel Falabella, no humorístico sai de baixo. Seus bordões ficaram famosos e ainda hoje são lembrados.
Eis os mais destacados:
- “Eu tenho horror a pobre!”
- Cala a boca, Magda!”

- “Pobre não sabe falar self-service. É “serve-serve” ou então “zé-te-serve”.  

Chaves – “Aí que burro, dá zero pra ele!”, “Teria sido melhor ir ver o Pelé”, “Ninguém tem paciência comigo” entre outras 

Chaves é a cara do Brasil. Um órfão de oito anos de idade, bastante pobre, vivendo dentro de um barril, correndo atrás de doces ou de um pouco de comida dos demais moradores da vila.
Esses são alguns: 
 - "Foi sem querer querendo." (desculpa)
- "Tá bom, mas não se irrite." (desculpa)
- "Ninguém tem paciência comigo!" (reclamação)
- "Isso, isso, isso!" (quando concorda)
- "Pi pi pi pi pi pi" (choro)dos seus bordões: 
Chapolin – “Oh! e agora quem poderá me defender?”, “Não contavam com minha astúcia!” 

Chapolin Colorado, vermelhinho ou polegar vermelho, é um super-herói digamos, às avessas. Não se destacava pelos atos de coragem, muito pelo o contrário, era fraco, feio, pobre, desajeitado, covarde, tonto, mulherengo, mas que no final sempre dava a volta por cima, superando seus medos e vencendo seus inimigos. E ao menor sinal de perigo, os demais personagens repetiam o bordão “Oh, e agora, quem poderá me defender?”, era a deixa para o  Chapolin entrar em cena mediante a algum tipo de materialização repentina (frequentemente tropeçando nas próprias pernas, fazendo sempre uma idiotice o entrar em cena) respondendo” Eu!”.  


Veja alguns bordões. 
- "Eu! O Chapolin Colorado!"
- "Não contavam com minha astúcia!"
- "Sigam-me os bons!"
- "Sim, eu vou…" ou "Eu faço…"
- "Suspeitei desde o princípio."
- "Sigam-me os bons!"
- "Não contavam com minha astúcia!"
- "Se aproveitam da minha nobreza!"
- "Claro que não. Fiz isso intencionalmente para…"
- "Todos os meus movimentos são friamente calculados".
- "Palma, palma, não priemos cânico!"
- Silêncio! Silêncio! Minhas Anteninhas de Vinil estão detectando a presença do inimigo! Vou fulminá-lo a golpes com a minha marreta!
                                               Dona Florinda – "E da próxima vez vá... a sua vó"! 

Dona Florinda é uma mulher madura, que usa avental e bóbis no cabelo, castigada pelo tempo, Viúva e mãe de um único filho, Frederico, vulgo Quico.
Possui vários bordões: 




 - "E da próxima vez vá... a sua vó"!
- "Não gostaria de entrar para tomar uma xícara de café?"
- "Oh, mas é claro que não! Entre!"
- "Vamos, Tesouro/Quico! Não se misture com essa Gentalha!"
- "Que milagre o senhor por aqui!"
- "Vamos... continue... continue..."  
                                                       Quico - “Gentalha! Gentalha”! 


Quico é o que se pode chamar filhinho da mamãe. Garoto metido e mimado pela a mãe, Dona Florinda, sendo constante alvo de gozação das outras crianças da vila e dos demais inquilinos da vila. Por suas trapalhadas, é chamado por chaves de burro. E por suas bochechas protuberantes, renderam o apelido de bochechas de buldogue velho. 
Esses são os bordões do Quico: 
 - "Mamãããããe!"
- "Você vai ver, eu vou contar tudo pra minha mãe"
- "Ele me bateu/Biliscou!"
- "Gentalha, gentalha!"
- "Você não vai com a minha cara?"
- "Ah cale-se, cale-se, cale-se, você(s) me deixa(m) loooouco(s)!"
- "Não deu"
- "Diz que sim, diz que sim, vai… Siiiim?"
- "Ah-rrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr" (choro)
- "Esperem só até eu ganhar minha bola quadrada!"
- "Com licencinha..." 
                                                                             Fred Flintstone – “Yabadabadoo” 
                    
Fred Flintstone é um homem pré-histórico que vive na cidade de Bedrock. Casado com Wilma e pai de Pedrita, costuma jogar boliche com seu meu amigo, Barney. Seu animal de estimação é Dino, um dinossauro.
Suas frases mais conhecidas são: "Yabba-Dabba-Doo!" e "Willllllllmmmaaa!"
                                                       Capitão Caverna – “Capitão Cavernaaaaaa”! 





Capitão Caverna é um ser baixinho, troglodita, coberto de pelos e sempre com um porrete em mãos gritava “Capitão Cavernaaaaaa”! 
                                                          Gislaine – “Isso não te pertence mais”!

 Alguns dos bordões mais populares do Zorra total, foram criados por Fabiana Carla, como “ Isso não te pertence mais”, “ Desenrola carretel”, “ Pode/não pode”. 

                                                       Scooby-Doo – “Scooby-Doo, cadê você”? entre muitos outros
                  
Scooby-Doo é um desenho animado por mim muito querido. Constituído por um grupo de adolescentes metidos a detetives Fred, Velma, Daphne e Salsicha, e um cão Dinamarquês falante chamado Scooby-Doo, que viajavam num furgão chamado máquina mistério, visitando lugares inóspitos, ajudando a investigar casos misteriosos, em busca de aventuras.
Essas são suas frases mais conhecidas. 


 * Scooby-Doo:
- socorro Salsicha!!!
– Patas pra que te quero!
 - Scooby-Dooby-Doo!!!
– cruzes!
– Cachorro? Onde?
O que??? Fantasmaaaa???

* Salsicha:
- Scooby-Doo, cadê você meu filho?
_ Sebo nas canelas, Scooby!
- O que é isso assim?
- Ô diabo!
- Cadê você meu filho?
- Scooby, o que há com você meu filho? 
                                                              
                                                                     Piu-piu – “Eu acho que vi um gatinho”!

Piu-piu é um passarinho perseguido por frajola. Aparentemente é um personagem meigo e delicado, mas reage com requintes de extrema maldade aos ataques do gato Frajola. Seu bordão é “ Eu acho que vi um gatinho!”.  
                                                       O Exterminador do Futuro – “Hasta la vista, baby”


O famoso bordão “Hasta la vista, Baby” criado por Arnold Schwarzenegger no filme “O exterminador do futuro”, filme americano de 1984, é lembrado até hoje.
                                                Faustão – “Ô loco meu”!
“Ô loco meu”! é o famoso bordão criado e constantemente usado pelo apresentador de TV Fausto Silva, no seu programa domingão do Faustão. 
                                                                              Pit Bicha – “Cuecão de couro mano”! 
     
Tom Cavalcanti deu vida a um dos personagens mais conhecidos e queridos do Zorra, o “ Pit Bicha”. No quadro também foi criado o bordão “Cuecão de couro mano”! Bordão este que virou mania nacional, especialmente nas escolas com a garotada. 
                                                                Rolando Lero – “Captei, captei a vossa mensagem…”!

O saudoso Rogério Cardoso fazia graça “enrolando” o seu professor (Raimundo Nonato) interpretando o Rolando Lero, que nunca sabia as respostas. O seu personagem contribuiu com o bordão “captei vossa mensagem, amado guru”. 


                                                                   Bussunda – “Fala sério aí”! 



Bussunda, e seu personagem Marrentinho Carioca, eram um dos astros do time de Futebol Tabajaras Futebol Clube. Só sabia reclamar, com seu bordão: “ih, fala sério, aí!”. 
                                                                         Laura - "Vem cá, te conheço?"

Maria Clara Gueiros ficou bastante conhecida no zorra quando a sua personagem Laura Lançou o seguinte bordão: “ Vem cá, te conheço?”. 
                                                       Dona Jura - "Não é brinquedo não!"


Solange couto atriz e apresentadora brasileira. Em 2001 tornou-se famosa pelo bordão “não é brinquedo não” na novela O clone, com a personagem Dona Jura, considerado até hoje como o seu bem mais sucedido papel em novelas. Se tornou letra de uma canção, de tanto que o bordão fez sucesso. 

P.S. Esses e outros inesquecíveis slogans e bordões, quer de propagandas, novelas, filmes ou seriados, sem sombra de dúvidas estarão perpetuamente registrados, será parte de nosso acervo cultural, e da nossa memória televisiva ao longo da história.

Adilson Adalberto
















Reações:

0 comentários:

Postar um comentário