quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Crônica: Em algum lugar eu queria estar!

Quinta - feira. 07/11/13

Em algum lugar eu queria estar! 

Em algum lugar esta noite, eu queria a minha cabeça num colo pousar, fechar os meus olhos, adormecer e sonhar. Em algum lugar esta noite eu queria estar, não importa aonde, o mais importante é estar!Preciso ir pra algum lugar, me movimentar, sai do lugar, desse perpétuo estado de inércia, viver, sorrir, cantar, dançar, me emocionar, beijar, amar!
Qualquer coisa que me faça vibrar, tirar esse enorme peso das costas, tornar a vida mais bela e mais próspera, ver o que ninguém mais consegue enxergar. Os primeiros raios de sol pela manhã sobre eu refletir, sentir o cheiro da brisa suave do mar, ver/enxergar o voou das gaivotas nas encostas e o cantar dos pássaros nas copas das árvores a pousar; a chuva que sorrateiramente começa a cai sobre a terra, exalando um perfume nunca antes sentido em nenhum outro lugar!
Eu queria era cair no mar, deixar que suas águas salgadas tirassem todas as mazelas que sobre o meu corpo viera impregnar, queria mergulhar, estar sobre as ondas, e como um surfista nela me equilibrar, surfar! Depois nas areias me deitar, rolar como criança, sem medo de me sujar, construir meus castelos, mesmo sabendo que a maré quando subir virá lhe derrubar!
Também queria pular de pára-quedas, olhar tudo lá de cima, sob outra perspectiva, me sentir mesmo por alguns instantes como um pássaro a voar; ter a visão além do alcance, desvendar enigmas os quais jamais se ousaram pensar!
Pensando bem, eu queria mesmo era mergulhar, desvendar os mistérios do fundo do mar, nadar com todas as formas de vidas daquele habitat, ir aonde a luz não consegue chegar, encontrar embarcações históricas que a muito foram a pique, a exemplo do Titanic, encontrar civilizações desaparecidas, Atlântida, da qual sempre ouvimos falar; o triângulo das bermudas é outro mistério do mar!
Em suma, eu queria mesmo era ir pro espaço, lá com certeza deve ser um barato, ver a terra bem do alto, comparado ao universo somos menores que um grão de areia; apenas mais um planeta, de tantos outros com certeza! O sistema solar, com todos os planetas rodando em volta do sol é outro espetáculo a parte: o céu, as estrelas, o sol com seu calor humanamente insuportável, os meteoros e os cometas, a lua nosso satélite natural, para a decepção de muitos inabitáveis, portanto, nada de são Jorge e seu cavalo, nem o dragão sendo por ele esmagado, tudo isso é mera fantasia, uma viagem; enquanto isso o mistério permanece, afinal, existe ou não vida em Marte? De repente, quem sabe? Segundo alguns cientistas malucos ou não, há sim, essa possibilidade! Mas o meu preferido não é e nunca será Marte, é sem dúvidas Saturno e seus enormes anéis espetaculares; pisar na lua, como tantos outros astronautas, especialmente o primeiro, Neil Armstrong, era outro desejo meu, do qual de mim faz parte, o buraco negro não, Deus me livre e guarde! Prefiro passar bem longe dele, claro que saber o que há do outro lado, eu tenho muitas curiosidades, mas quem e/ou o que ultrapassou a barreira de suas fronteiras, jamais retornou pra contar-nos, continua sendo um dos grandes mistérios ainda não desvendados, então, deixa quieto, melhor distanciar-me, ficar a anos-luz dele afastado!
Finalmente retornar a terra, com aquele brilho no olhar que me é peculiar, capaz até de encandear quem por muito tempo seus olhos nos meus colocar; e um sorriso estampado nos cantos dos lábios, felicidade semelhante ou igual não há!  Ah, como eu queria estar lá! Onde? Sei lá, em qualquer destes lugares! 

http://adilsonconectado.blogspot.com/  
Reações:

Um comentário:

  1. Que belo escrito Adilson tbm gosto do planeta Saturno por todo mistérios e seus incríveis anéis.

    ResponderExcluir