domingo, 11 de maio de 2014

Crônica: Dia das mães.

Domingo, 11/05/14


Mães existem de todo o tipo, mas a que eu mais me identifico, é a do tipo vento... Mesmo que não vejo, eu sinto sempre! Seus olhos estão em toda parte, sentem, pressentem, parecem videntes! Embora às vezes, acredito; que se sintam impotentes, principalmente quando os filhos crescem, e cada um sai de casa, e vai cuidar de suas vidas, acho que se elas pudessem, a gente nunca crescia, viveria como o Peter pan, na terra do nunca – nunca crescia... Era pra sempre o seu bebê, que necessitava de cuidados inté pra tomar banho e comer! Esquecem que o tempo passa, e com ele a nossa infância querida, as lembranças dos nossos melhores dias! Mães são verdadeiras mulheres maravilhas! Super-heroínas, que não medem esforços em prol de sua cria, abririam mãos de tudo, sacrificariam se preciso fosse a própria vida! Mostram suas garras quando sua prole encontra-se ameaçada, são muita vezes injustiçadas, maltratadas, incompreendidas, esquecidas, substituídas até por um desconhecido ou desconhecida, que só são lembradas, procuradas quando as coisas se complicam! São abnegadas, não guardam nenhum tipo de mágoa, nunca tiram férias, são espécies de cão de guarda, é claro que no bom sentido da palavra; confesso às vezes invasiva, mas suas atitudes têm justificativas, são como sentinelas, sempre a espera do filho prodigo voltar pra casa! De modo que “dia das mães” são todos os dias, não apenas nesta data! Devemos amar-la, honrar-la, respeitar-la e homenagear-la sempre, enquanto temo-la como anjo de guarda!
Mães - Deus lhe concedeu super-poderes, és literalmente uma superdotada, além de ser onipresente; não és red Bull, mas também criasses asas! Desempenha múltiplas funções: amante, mãe, psicóloga, confidente, assistente, mulher, dona de casa, dentre tantas outras missões, que aos olhos humanos, parece-nos surreais, és sim, seres “angelicais”, muitíssimas especiais, etc e tais!
Mãe - cá pra nós: bem aventurada sois vós entre as mulheres, obrigado por existires, perdão se às vezes sou rebelde, sem ti não sou nada, a vida nem teria se tu não me desses; portanto, releva... Esquece!
Que Deus pra sempre assim vos conserve... Senhora das minhas vontades, e dona de mim!
Parabéns pelo seu dia, e por você existir!
Amo-te! Beijos, do seu eternamente guri! 



Reações:

3 comentários:

  1. Belíssima crônica, Adilson !! Parabéns !!

    ResponderExcluir
  2. Hoje mesmo estava assitindo uma reportagem em que uma mãe rolou no chão com um assaltante que estava ameaçando atirar em sua filha !!.. Essa mãe foi uma super-heroína !!

    ResponderExcluir
  3. Que coincidência em Elias? Caramba, acabei de citar isso aí no blog, mães heroínas, que arriscam a própria a vida pelos filhos!

    ResponderExcluir