quinta-feira, 3 de julho de 2014

Poema: Adoro esse seu jeito doido de ser!

Quinta - feira, 03/07/14


Adoro esse seu jeito doido de ser,
Doida de pedra,
Doida varrida,
Moleca atrevida,
Inconsequente, amante, amiga...
Mulher da minha vida.

Adoro-te assim...
Tímida,
Pele corada,
Mãos trêmulas e suadas,
Voz embargada,
Toda emocionada no telefone ao me ouvir.  

Adoro quando você faz juras de amor pra mim,
Quando você diz, que o nosso amor nunca vai ter fim,
Que a sua vida estar totalmente atrelada a minha,
Isso me faz vibrar, me faz sentir-me ainda mais feliz,
Livre como um passarinho e ao mesmo tempo, totalmente preso a você,
É o seu amor que me faz viver.

Adoro amar, gostar, desejar, querer, sonhar, idealizar, pensar,
Imaginar em ter você,
A nossa primeira noite de amor,
De muitas que ao longo da vida iremos ter,
Pode até demorar, mas sabemos que quando esse dia chegar,
Vai ter valido apenas cada minuto esperado.

Com certeza vamos tirar nosso atraso,
E bota atraso nisso,
Quase duas décadas incomunicáveis,
Sem saber um do outro muito a respeito,
Só alguns míseros comentários, 
De alguns poucos conhecidos.

A muito pedia a Deus para reencontrar-la,
Queria consertar o que antes havia feito,
Não por acaso recebi noites atrás o seu convite no face,
Disse que também estava me procurando,
Daí de imediato, tudo o que um dia sentimos um pelo o outro foi voltando,
E quando nos demos conta, nosso amor brotou das cinzas, como a Phoenix...

Fizemos juras de amor eterno, inevitavelmente,
Não conseguimos ficar longe um do outro, mesmo fisicamente ausentes,
Falamo-nos dia e noite via celular, Sms e face book,
Sentimos uma saudade danada um do outro,
Alimentamo-nos de esperanças,
De um dia ficarmos juntos, pra sempre.

Os obstáculos são muitos,
As dificuldades idem,
Os adversários são como zagueiros - marcam em cima,
A distância no decorrer dos tempos complica,
A saudade faz doer, e é teimosa que nem uma mula,
Mas o amor se fortalece, amadurece que nem frutas.



  
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário